ImageProxy

UMA VEZ QUE CALIBRAMOS NOSSA MENTE MULTIDIMENSIONAL AO NOSSO CÉREBRO TRIDIMENSIONAL (ÚLTIMO WEBNAR COM LAUREN GALEY) NOSSA CONSCIÊNCIA E ENTÃO NOSSAS PERCEPÇÕES SÃO IMENSAMENTE EXPANDIDAS.

COM O DESPERTAR DE NOSSAS PERCEPÇÕES EXPANDIDAS, OS VOLUMES DE INFORMAÇÃO QUE ESTIVERAM OCULTOS ATRÁS DAS LIMITAÇÕES DE NOSSOS CINCO SENTIDOS FÍSICOS VÊM PARA A SUPERFÍCIE DE NOSSA CONSCIÊNCIA E CRIAM UMA TRANSPARÊNCIA EM NOSSA REALIDADE.

Essa “onisciência” em nossa vida diária serve para eliminas as ilusões restantes de limitação e separação.

Tal como nós temos talentos especiais em nossas vidas diárias, certas percepções expandidas serão mais fortes e entrarão “online” em nossa consciência cotidiana antes.

Todos nós possuímos essas percepções expandidas como um componente inato de nossa verdadeira natureza multidimensional.

Um número maior de nós usaria nossas percepções expandidas se não tivéssemos sofrido julgamento daqueles que temiam aquilo que não podiam entender.

Felizmente, conforme mais e mais de nós despertam, há menos julgamento.

Portanto, mais e mais de nós estamos “aparecendo” com nossas capacidades perceptivas expandidas recém-ativadas, ou ocultas há muito tempo.

ATIVANDO NOSSAS PERCEPÇÕES EXPANDIDAS

Uma das principais chaves para restaurar nossa percepção “mediúnica” inata é ouvir à pequena voz calma interior que sussurra em nossa mente, coração e corpo.

Tal como nosso corpo físico usa nossos cinco sentidos para nos informar daquilo que estamos ouvindo, vendo, sentindo, cheirando e tocando, ele também nos alerta para a informação que ressoa às frequências expandidas de nossa consciência superior.

Pela fusão, download e integração de nosso EU Multidimensional em nosso vaso terreno tridimensional, nós transferimos os dados de nosso novo “sistema operacional multidimensional” para ativar essas percepções expandidas.

Então nosso cérebro, nosso computador biológico, pode sinalizar nosso corpo para responder às frequências de informação que estavam além do limiar de nosso antigo sistema operacional tridimensional.

Lembrem-se: nós não elevamos nossa consciência apenas.

Nós a expandimos.

Ao expandirmos nossa consciência, pensamento, expectativas e percepções, nós recebemos informação não somente com a quarta, quinta e sexta dimensão e acima, mas também com a segunda e a primeira dimensão e as realidades quânticas.

Quando entramos na nossa exploração dos extremos da individualidade, nós nos separamos de nosso corpo, nossos instintos animais, nosso EU, dos outros, do Espírito, do “Céu”, do planeta e de tudo da Natureza.

O nosso instinto foi uma das percepções inatas e animais que nós perdemos.

INSTINTOS

O instinto, que é um “saber” inato, é uma capacidade bidimensional baseada no nosso “eu primitivo” que tem a habilidade de sintonizar com o planeta para saber onde há água, qual alimento nos cura ou envenena e a localização de nossa “tribo”.

Se “soltamos as rédeas do cavalo” ele encontrará água.

Os animais na natureza sabem qual alimento eles devem comer e qual alimento lhes fará mal.

Os animais sabem quando um predador está à sua espreita ou simplesmente compartilhando um ponto de água.

Em nossa busca pela evolução, nós perdemos algumas de nossas habilidades básicas de sobrevivência.

Nossos instintos normalmente são uma sensação física, que nosso cérebro esquerdo, o eu lógico foi treinado para ignorar.

Entretanto, ao recuperarmos nosso Pensamento com o Cérebro Todo, nós começamos a nos tornar amigos íntimos de nosso vaso terreno.

Ao despertarmos, nós começamos a perceber que nós NÃO somos o nosso corpo.

NÓS estamos NO nosso corpo.

Nossa forma física é uma das muitas formas que cercam nossa consciência.

Entretanto, sem nosso corpo físico nós não podemos continuar participando do Jogo 3D.

Em outras realidades em que tínhamos uma consciência tribal ou em que tínhamos que sobreviver a partir da terra, nosso instinto era uma das percepções mais importantes.

Nossos instintos são capazes de reunir a informação de nossos cinco sentidos que estão logo abaixo de nosso limiar de percepção.

Entretanto, quando a visão distante, o som baixo, o cheiro fraco e a proximidade de alguém ou alguma coisa que não podemos tocar se reúnem em nosso cérebro direito nossos instintos juntam estas informações para nos assistir a navegar por nossa realidade tri/tetradimensional.

EMPATIA

Empatia é a capacidade de sentir as emoções de outra pessoa.

É uma capacidade compartilhada pelas sociedades tribais “primitivas”, manadas de animais e bando de pássaros.

Um exemplo dela é quando nosso bichinho aparece e nos cutuca numa tentativa de confortar nossa tristeza.

Outros exemplos são a compreensão de uma mãe daquilo que seu bebê que não fala necessita ou o saber profundo de um curador de como um paciente se sente.

A empatia é outra de uma de nossas “percepções animais” em que nós devemos prestar atenção aos nossos corpos a fim de receber e entendê-los.

Darwin escreveu sobre quatro emoções básicas dos animais como um meio de sobrevivência.

O objetivo de sobrevivência do medo é criar um estado de lutar ou correr; a tristeza cria elo dentro de uma manada/bando/matilha; felicidade pede procriação da espécie; o objetivo da fúria é romper barreiras.

Nosso “eu animal” tridimensional utiliza as emoções de uma forma bem similar.

Nós tendemos a ser mais empáticos com pessoas com quem nos importamos profundamente, até amamos.

Entretanto, a parte complicada da empatia é que nós sentimos as emoções do outro em nossos próprios corpos como se elas fossem nossas.

Portanto, para evitar confusão, nós precisamos entender nossas próprias emoções antes de podermos diferenciar entre o que estamos sentindo e o que o outro está sentindo.

INTUIÇÃO

A intuição é outra forma de saber corporal, que nos dá respostas na forma de “sentimentos instintivos” sem a necessidade de pensamento.

A intuição é a capacidade de combinar as percepções da visão, audição, propriocepção (sua localização no espaço) e olfato.

Todas essas capacidades derivam-se do funcionamento do nosso cérebro além do que é considerado ser “normal”.

Muitas pessoas usam sua intuição todo dia, mas elas a chamam de “sorte”.

A intuição assemelha-se ao instinto, exceto que ela convoca as mensagens, respostas e proteção daquilo que vocês podem chamar de seus “Guias Espirituais”.

O instinto e a empatia chegam a nós quando estamos em nossa consciência diária em onda cerebral beta.

Por outro lado, é preciso a consciência em onda alfa para acessar nossa intuição.

Nós temos uma intuição quando nós “pensamos fora da caixa”, além das limitações do pensamento tridimensional diário.

A intuição pode chegar a nós como um aviso ou mensagem de “cima”, mas quando nós acreditamos que estamos despertos, nós percebemos que as mensagens vêm de dentro ao invés de “de cima”.

A fim de recebermos nossa mais profunda intuição, nós precisamos nos aventurar nos locais ocultos de nossa mente inconsciente e de nosso coração ferido.

Se nós não pudermos obter uma leitura clara em nossas próprias emoções, nós projetaremos essa leitura prejudicada para nossa intuição sobre os outros e receberemos uma informação errônea.

Em outras palavras, se observamos o mundo com óculos escuros ou uma aura obscura, parecerá como se o mundo externo está sujo ou obscuro.

Porque não estamos cientes de nossos “óculos escuros”, nós não perceberemos que a escuridão e a falta de claridade estão dentro de nossa própria consciência.

Medo, raiva e tristeza não resolvidos mancham nossa visão da realidade e fazem nós nos sentirmos inseguros demais para nos entregar ao nosso EU Multidimensional.

TELEPATIA

A telepatia é a capacidade de ler ou ter um “saber” dos pensamentos da outra pessoa.

Um exemplo seria quando respondemos uma pergunta que a outra pessoa ainda não tinha feito.

Ela é uma habilidade tetra e pentadimensional, que é uma consequência natural ou de mover além das restrições do tempo tridimensional e entrar no tempo tetradimensional mais fluido, e/ou entrar na consciência pentadimensional onde toda vida é combinada na unidade com o UM.

Muitos de nós tivemos experiências telepáticas em que sabíamos que alguém iria nos telefonar e ele telefonou.

Nós podemos descartar que é uma coincidência, reconhecer que estamos despertando para nossas percepções expandidas, ou perceber que finalmente estamos reconhecendo o que tem acontecido por um longo tempo.

Quando nós percebemos que estamos “recuperando” uma capacidade inata ao invés de “obtendo” uma capacidade nova, nosso retorno ao EU pode ocorrer com maior facilidade.

Quando temos um momento de telepatia, podemos respirar longamente a gratidão para agradecer por nossa transformação de volta ao EU.

Agradecer pelo momento duplicará esse momento indefinidamente.

Além disso, quando nos comunicamos regularmente com o nosso Eu interior, mensagens telepáticas não se parecem mais únicas.

Quando nossa consciência expande para abranger nosso EU Multidimensional inteiro, é um passo fácil para comunicar com as expressões superiores de nosso EU Galáctico e Celestial.

É por essas comunicações que nós nos conscientizamos que AGORA somos e SEMPRE fomos UM com toda a vida.

CLARIAUDIÊNCIA

A clariaudiência é a capacidade de ouvir sons e comunicações da quarta dimensão e acima.

Com prática, todos nós podemos nos comunicar com realidades que ressoam às frequências acima da terceira dimensão.

A clariaudiência difere da telepatia no que a clariaudiência normalmente se refere à comunicação com seres dimensionalmente superiores que não podem ser vistos com os nossos sentidos físicos, enquanto que a telepatia normalmente se refere à comunicação não verbalizada com seres da mesma dimensão.

Canalização é uma forma de clariaudiência.

Há dois tipos de canalização: inconsciente e consciente.

Com a canalização inconsciente, conhecida como “transe mediúnico”, o receptor, conhecido como “canal”, desocupa sua forma tridimensional e permite que o mensageiro use seu corpo como um link para a terceira dimensão.

Com este tipo de canalização, o canal não pode ouvir a mensagem, apesar de suas cordas vocais serem utilizadas.

Outra pessoa precisa gravar ou anotar a mensagem que é falada através do canal.

Edgar Casey é um exemplo de transe mediúnico.

Por outro lado, durante a canalização consciente nós estamos totalmente conscientes de nosso corpo físico e despertos para a nossa vida diária.

Entretanto, estamos num estado expandido de consciência.

Porque estamos usando nossa consciência multidimensional, consciência tridimensional e também tetradimensional e acima, é difícil lembrar nossa mensagem se não a manifestarmos rapidamente em nossa vida física por transcrevê-la como material escrito, poema ou música.

Formas de arte como desenho, pintura, dança, arquitetura, atletismo, etc., mais frequentemente são percebidas via nossa clarividência.

Nós podemos ativar nossa clariaudiência por ouvir à pequena voz calma interior.

Enquanto ouvimos ao nosso EU, nós calibramos nossa consciência à essa ressonância.

É vital lembrar que há muitas dimensões acima da terceira, incluindo o Plano Astral Inferior da quarta dimensão, que é um reino de medo e escuridão.

E também, só porque uma pessoa está “morta” e falando da quarta dimensão, não significa que ela sabe mais do que sabia quando estava “viva” na terceira dimensão.

Portanto, é vital que nós SOMENTE prestemos atenção às mensagens que chegam a nós dentro da frequência transportadora do amor incondicional.

Além disso, as mensagens da quarta dimensão têm uma sequência de tempo diferente do plano físico, e aquelas da quinta dimensão e acima entram em nós em um flash de luz do AGORA do UM.

Nós então precisamos traduzir essas mensagens para a nossa linguagem tridimensional a fim de incorporá-las em nossa vida diária e compartilhá-las com outros.

Nosso cérebro, que traduz essas mensagens, é como um computador.

Ele somente contém a informação que nos carregamos nele.

Portanto, será difícil traduzir uma mensagem de luz se os conceitos forem totalmente únicos ao nosso pensamento tridimensional.

Quando o canal/médium desocupa sua forma física para permitir o ser superior utilizar sua voz, o canal não precisa traduzir a mensagem.

Neste caso, o canal não precisa entendê-la.

Entretanto, não importa quanto benéfico possa ser o ser que estamos canalizando, é perigoso deixar nossos corpos.

Muitos canais que fizeram isso descobriram que é verdade.

Quando desocupamos nossa forma, nós enfraquecemos muito o nosso sistema imunológico e também recebemos energias que não são de nossa corrente de vida.

Como estamos despertando, fazendo o download e integrando nosso EU Multidimensional, mais e mais de nossa canalização provém de um aspecto dimensionalmente superior de nosso EU.

É importante lembrar que nós temos uma ressonância de nosso Eu em muitos planetas, galáxias e dimensões.

Com nossas percepções expandidas ativadas, nós podemos aprender a nos comunicar com essas ressonâncias enquanto nós ainda mantemos um vaso terreno físico.

CLARIVIDÊNCIA

Clarividência é a capacidade de ver objetos que ressoam à quarta dimensão e acima.

Quando expandimos nossa consciência, nossas percepções expandem além dos limites do espectro físico de luz.

Então, nós podemos “ver” objetos e seres da quarta dimensão e acima.

Clariaudiência é nossa audição multidimensional e clarividência é nossa visão multidimensional.

Nós percebemos as várias dimensões diferentemente, pois elas ressoam a diversas frequências de luz.

Uma das experiências mais comuns de clarividência é a percepção de fantasmas.

Em nosso pensamento tridimensional e sistemas de crença, nós consideramos o fantasma como morto.

Entretanto, a morte é uma ilusão, pois ela significa apenas que a pessoa retornou sua frequência de ressonância para uma frequência mais alta.

A quarta dimensão é a aura do Planeta Terra e também a aura de cada pessoa.

Nós percebemos frequências diferentes por colocar nossa atenção na ressonância correlata dentro de nossa aura.

Tal como nós temos partes de escuro e de luz em nossa aura, Gaia também tem.

Há muitos lugares de poder na Terra onde as pessoas expandiram sua frequência, aterraram essa expansão no planeta e fizeram a travessia, retornaram ao Lar, em felicidade e amor incondicional.

Por outro lado, há outros lugares na Terra onde grande injustiça, crueldade, medo e fúria desfiguraram a face de Gaia e deixaram uma mancha em Sua aura.

Assim que ativamos nossas capacidades de clarividência, nós podemos facilmente dizer a diferença entre esses dois lugares.

Quando despertamos nossa clarividência e também nossa clariaudiência, somos solicitados a aceitar a iniciação de criar um túnel de luz através de nosso próprio Plano Astral Inferior para aterrar o túnel no corpo de Gaia.

A iniciação de clarear nosso “Túnel de Luz” nos ensina a diferenciar entre vozes e visões de dimensões e frequências diferentes.

Nosso objetivo é constantemente clarear nossa própria consciência para que possamos nos conectar com as frequências mais altas possíveis de luz e também com os grandes seres que residem nessa luz.

Ao progredirmos no processo, nós nos lembramos de que na quinta dimensão e acima NÃO há tempo, NÃO há espaço, então NÃO há separação.

Portanto, toda pessoa, local, situação que nós encontramos é um aspecto do UM de nosso EU maior que reside no AQUI do AGORA.

CLARISENCIÊNCIA

Clarisenciência é um termo geral para todos os sentidos mediúnicos juntos.

Quando somos clarisencientes, nós podemos acessar nossos sentidos expandidos de olfato, audição, visão e tato.

A clarisenciência é experienciada como um sentir, normalmente acompanhado de uma sensação física.

Nós podemos sentir o cheiro de alguma coisa que “não está ali”, ter um rápido relance de alguma coisa com o canto dos olhos, saber algo que não sabíamos um instante antes, “apagar” por um segundo para outra realidade e/ou repentinamente nos sentirmos confusos e desorientados.

Muito frequentemente nós experienciamos nossas realidades alternativas, paralelas e dimensionalmente superiores através de nossa clarisenciência.

Há diferentes tipos de “realidades alternativas”.

Uma delas normalmente é conhecida como nossas “vidas passadas”.

Entretanto, tempo e espaço é uma ilusão específica da terceira dimensão.

Então, assim que elevamos nossa consciência que seja só para a quarta dimensão, nós normalmente começamos a nos experienciar em uma vida que não é coerente com a vida tridimensional que nós estamos acostumados a experienciar.

Uma vez em nossa consciência tetra ou pentadimensional, nós podemos olhar “para baixo” em frequência para a terceira dimensão a fim de perceber qualquer período que desejamos.

Nossas muitas encarnações na Terra tridimensional desta percepção podem ser testemunhadas como estando alinhadas em uma roda de tempo.

De nosso ponto de vista nas dimensões superiores, esta roda não é vinculada ao tempo.

Então, nós podemos visitar qualquer vida sem a imposição do tempo sequencial, mas assim que entramos em qualquer um desses tempos, somos limitados ao movimento cronológico do tempo tridimensional.

A clarisenciência pode ser experienciada como um “Saber” que entra em nossa consciência.

Se nós pudermos confiar nesse saber, ele pode nos guiar por muitos bloqueios da vida 3D.

Esta orientação interior também nos conduz a um Saber mais apurado de nosso EU.

Quanto mais conhecemos nosso eu, mais nós podemos distinguir entre as sensações internas que captamos de outro e as sensações internas que surgem de nosso eu.

Como com todos os relacionamentos, o que desenvolve a intimidade é amor incondicional e confiança.

Ser íntimo de nosso eu é um conceito estranho para muitos, mas assim que lembramos e aceitamos nosso verdadeiro EU Multidimensional, nossa capacidade de ser íntimo com a vida se expande exponencialmente.

TELECINESIA

A telecinesia é uma capacidade tetra e pentadimensional que nos permite movermos objetos pelo espaço sem os mecanismos de nosso corpo físico.

Em nosso eu tetra e pentadimensional, nossa mente, emoções e intenções são mais poderosas do que nossos músculos.

Portanto, nós podemos deslocar objetos por combinar nossos pensamentos e emoções com nossa intenção consciente.

Normalmente refere-se à telecinesia como “mente sobre a matéria”.

Em outras palavras, com o uso consciente de nossas capacidades telecinéticas nós podemos mover e/ou influenciar a matéria com o poder de nossa mente.

Entretanto, as emoções também representam um forte papel na telecinesia.

A telecinesia consciente é uma das percepções expandidas menos comuns.

Por outro lado, nós frequentemente influenciamos a matéria com nossa mente/emoções de uma maneira inconsciente.

Por exemplo: aqueles que têm uma maior inclinação para a telecinesia, às vezes acendem e apagam as luzes da rua simplesmente por caminhar sob elas.

Essas pessoas podem ser atraídas para as artes marciais ou esportes tais como o tênis, o basebol, o golfe, em que o poder da intenção pode ser conscientemente utilizado para dirigir o percurso da bola ou a força do golpe de arte marcial.

Artistas que trabalham com entalhe ou escultura podem também ter um talento não reconhecido para a telecinesia, pois eles podem manipular a matéria com suas mãos, mas a intenção de suas mentes/emoções inconscientes também pode ser um forte componente de suas obras.

Outro tipo de telecinesia inconsciente é um poltergeist.

Um poltergeist não é um “fantasma”, mas o movimento de matéria através da intenção inconsciente de uma pessoa viva.

Frequentemente essa pessoa é um adolescente que não tem ciência da força de suas emoções extremas.

De fato, medo, raiva e tristeza podem ser forças muito poderosas.

Infelizmente, quando essas emoções são inconscientemente utilizadas para manipular a matéria, normalmente é atemorizante para a pessoa que involuntariamente criou esse movimento.

A emoção forte é um elemento importante da telecinesia porque emoção é “energia em movimento”.

Assim que obtemos o domínio sobre nossas emoções, nós podemos usar emoções baseadas no amor para consciente e amorosamente elevar a frequência da matéria para que esteja menos sobrecarregada pelo tempo e espaço.

Então nós podemos movê-la sem a limitação do peso ou massa tridimensional.

Se nós pudermos nos conectar conscientemente com nossa consciência quântica, nós podemos utilizar a manifestação instantânea de nosso pensamento quântico para teletransportar a matéria para qualquer lugar do Universo, imediatamente!

O nosso “lixo” do DNA provou funcionar como pequenos wormholes onde as mensagens e eventualmente a matéria podem ser instantaneamente teletransportadas para qualquer localização.

Esse tipo de teletransporte é similar ao utilizado em Star Trek.

A matéria pode ser reduzida ao nível quântico, onde ela pode ser movida além do tempo e espaço, então reestruturada na localização pretendida.

Todas as nossas percepções expandidas nos permitem perceber conscientemente as frequências superiores de realidade que coexistem conosco em nossa vida diária.

Assim que acreditamos que podemos experienciar conscientemente as dimensões superiores, nossa consciência se expande para essas frequências superiores de realidade.

Nossa frequência de consciência dita a frequência de nossas percepções.

Visto que somente podemos experienciar o que nós percebemos, a realidade que nós percebemos é a realidade que nós vivemos.

O parágrafo acima é a chave da bilocação para outras realidades enquanto nós ainda mantemos nosso vaso terreno físico.

Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com

http://blogsintese.blogspot.com.br/2014/03/usando-nossas-percepcoes.html