1365511594_dusha-stixi

Parte 4: “A Nova Missão”

Recentemente, fui informada de que eu era/sou um walk-in, entrando em um corpo humano durante a infância. Acredite em mim, isso foi uma grande surpresa com certeza, mas havia um choque ainda maior esperando por mim, mas vou deixá-lo em suspense por enquanto…

Quando entrei nessa vida de serviço neste planeta, eu vim determinada a equilibrar o meu carma, o carma do meu walk-out e o carma que eu podia dos outros, a fim de permitir aqueles a quem eu vim servir, finalmente entrassem em seu próprio carma. Visto que a conseqüência desta decisão de alma tem sido muitas vezes uma vida difícil. Foi apenas nos últimos anos que eu pude dizer com algum grau de certeza que eu finalmente cheguei a um lugar de autoconhecimento e equilíbrio na minha vida.

Devido a amnésia espiritual que eu concordei ao entrar naquele corpo infantil, eu temporariamente “esqueci” de quem eu era, e tinha que andar por este mundo acreditando que eu era um ser humano. Tem sido um desafio, a jornada está difícil desta vez, porem está bem proveitosa. No entanto, sempre havia fios de entendimento que ecoavam em meu coração e me levavam em várias direções diferentes.

Os trabalhadores da luz forjaram brilhantes caminhos retos com o seu trabalho, tornando-se os viajantes do mundo, se apresentando no palco e sendo bem conhecidos. Eu era um andarilho, nunca bem resolvido em um único jeito de fazer as coisas, mas sempre tentando ouvir um sentimento interior que parecia me guiar. Eu descobri que eu “sabia” de coisas que não fazem sentido para a minha família e amigos. Não só eu “conhecia” as coisas, mas eu agia com base nesse conhecimento. Mal sabia eu, que eu estava me ensinando a ouvir a minha própria intuição.

Intrigada por um longo tempo pelo fato de que eu não sossegava em um ensinamento, encontrei a mim mesma experimentando muitos ensinamentos, um tanto como uma borboleta voando de uma flor para outra e, então, seguindo em frente, mais uma vez. Foi só recentemente que eu vim a entender que estes ensinamentos não foram para mim. Principalmente eles serviram para me lembrar daquilo que eu tinha “esquecido” no percurso de me tornar velada. E, sério, alguns dos ensinamentos atualmente disponíveis dentro do movimento da Nova Era são de âmbito limitado, vindo de uma perspectiva ligada à terra. Você começa a perceber isso uma vez que você entra em contato com outros seres estelares e seres conscientes… pessoas do Lar.

Com a Convergência Harmônica em 1987, todas as previsões antigas de videntes e profetas sobre a destruição em massa do Planeta, se deram em nada. A humanidade tinha passado um marco importante coletivo quer estivesse ciente ou não disso exteriormente. Enquanto ainda havia muito trabalho a fazer, aqueles que buscavam ascensão durante este ciclo estavam agora livres para persegui-lo com todo o coração. Junto com outros milhões de trabalhadores da luz voluntários que tinham finalmente conseguido ancorar permanentemente a Luz do Cristo sobre este planeta. Agora a humanidade estava livre para perseguir seu objetivo evolutivo e, finalmente tornar-se uma civilização Galáctica.

Desde meados de 1987, eu tenho lidado com muitos da vasta lista de possíveis sintomas de ascensão, começando com a Síndrome de Fadiga Crônica. Curiosamente, eu só percebi que eu comecei a ter esses “problemas” quando a Convergência Harmônica ocorreu. Eu morava no interior de Montana na época e tinha pouco contato com o mundo exterior. E durante este tempo, eu estava aprendendo sobre os Mestres Ascensos, os Arcanjos e a Hierarquia Espiritual, cujo conhecimento me serviria bem mais tarde, quando eu encontrei alguns destes povos invisíveis de maneiras novas e diferentes.

Desde aqueles dias, viajei muitos caminhos internos, conscientemente limpando, encontrando e passando pelas fases iniciais de despertar, quando as “mentiras” que foram propagadas sobre a humanidade, de repente vieram a diante em minha consciência. Passei por raiva, frustração, perda, traição… Uma longa gama de emoções humanas. À medida que eu pisei fora dos limites invisíveis da “normalidade”, comecei a ser identificada pela minha família da Terra como sendo “estranha”, e me encontrei sendo rejeitada. Aprendi a lidar com a rejeição e, finalmente, a aceitá-la como um distintivo de honra. Eu só estava respondendo a um chamado de dentro e me sentia compelida a acatá-lo, invés das preocupações da família ou amigos. Como resultado, desde a morte de meus pais, eu vivi sozinha e passei a desfrutar da quietude que uma vida solitária pode conceder a alguém.

Desde meados de 1980, eu soube que eu carregava uma “grande luz”. Foi dito a mim por várias pessoas. É claro que na época eu não sabia o que eles estavam falando – agora eu sei. Desde 1994, eu estou consciente de que eu “ancoro” a luz. Eu não entendia esse conceito também; agora eu o entendo. Eu tenho dado chaves para o entendimento futuro, tudo ao longo do caminho que me conduziu a mover meus medos para que eu pudesse compartilhar um pouco da minha jornada com os outros.

Na primavera passada eu experimentei uma longa doença que me impediu de trabalhar por algumas semanas. Foi nessa época em que eu “conheci” online alguns amigos e parentes do Lar. As Revelações têm vindo rápidas e furiosas desde então. Foi através dessa nova conexão que eu soube quem eu era de fato, um walk-in. Enquanto eu tinha conhecido outros walk-ins e lido sobre eles, eu nunca pensei que eu fosse um também. Para descobrir que eu era um walk-in, foi um pouco surpreendente, mas foi o que me disseram em seguida, que realmente me assustou: Não só eu era um walk-in, mas eu estava programada para ser um “walk-out” este ano.

A princípio isso foi um pouco chocante para mim, quanto mais eu pensava sobre isso, eu sabia que era verdade. Minha partida se aproximando explicou muito sobre a minha incapacidade de planejar o futuro ou me envolver com os planos dos outros. Não é que eu não me importasse com as pessoas, eu simplesmente não “via” a mim mesma trabalhando em todos os projetos que precisam ser realizados a fim de trazer a Nova Terra dentro do ser.

Então é essa a minha grande revelação: Estou programada para ser o “walk-out” deste ano, que será substituído por outro Pleiadiano, que vai continuar com a missão que eu comecei aqui… Escrevendo estas páginas e expandindo o nosso serviço neste Planeta. Como meu primo, Rananda, escreveu em um comentário; estas palavras são um prelúdio para a Revelação. Essa é uma poderosa e grande declaração a ser feita, mas eu posso ver o que isso está se aproximando… Pessoas como nós, que parecem muito comuns, que trabalham, comem, lavam os pratos, abastecem o carro… Nós estamos fazendo coisas extraordinárias fora do âmbito da compreensão da maioria dos seres humanos.

Por estarmos dispostos a ser e parecer como seres humanos, bem como, partilhando de nossas aventuras no planeta Terra, vamos ter diminuído o impacto emocional que irá ocorrer quando a Revelação realmente acontecer e os primeiros desembarques em massa venham a ocorrer. Acreditem em mim, meus queridos, isso vai ser um pouco chocante olhar para um homem de 2.50m de altura com um macacão prateado olhando abaixo para vocês com um sorriso gentil, que emana uma aura dourada e macia. A maioria dos seres humanos não está realmente pronta para a Revelação, então tenham paciência. Aqueles de vocês que estão cientes de que eles são sementes estelares e trabalhadores da luz, caberá a vocês se abrirem e compartilharem sobre as suas experiências aqui. A cada revelação pessoal, a consciência de que somos UM vai crescer.

Voltando ao assunto dos walk-ins/walk-outs, minha amiga Siriana, Trillia, escreveu em um comentário para a primeira parte desta história: “Eu gostaria de acrescentar que cada um walk-in conhece a alma que está saindo do corpo muito bem, visto que (elas são) geralmente amigas íntimas ou familiares de reinos mais elevados. O walk-in faz um acordo ou contrato de alma que é carinhosamente projetado por ambas as partes envolvidas e também deve ser aprovado pelo nosso Conselho Carmico”.

Meu designado walk-in é minha irmã Pleiadiana, então eu a conheço bem e nossas energias da alma também se combinam perfeitamente. O processo de entrelaçamento está agora acontecendo há alguns meses, conforme o meu walk-in vai e vem, se ajustando a sensação de estar em um (para ela) espaço bastante apertado. Ela tem 2.38m de altura de pés descalços, enquanto o meu veículo humano é apenas 1.77m de altura. E ela tem de aprender a se adaptar a nossa cultura, o meu trabalho e da vida cotidiana, a nossa língua… Apenas uma enorme variedade de coisas que normalmente nós damos por certo.

Claro que, como um walk-in, minha irmã Pleiadiana teria recebido um treinamento prévio, mas ainda assim, quando finalmente chegar a “entrar”, por assim dizer, é uma nova e estranha sensação para alguém que está acostumado em um ambiente mais refinado e amando tais como as ilhas Pleiadianas e vida sobre as naves da Federação Galáctica. E da minha parte, eu tenho que me acostumar com o conceito de “sair”.

Isso exigiu de mim algum tempo para que eu o convertesse em realidade. Eu fiz um monte de verificação interna para conhecer a verdade. Um dos meus primos recentemente reconhecido como Kumaras acaba de passar pelo processo de walk-out. Com esta demonstração viva, sinto-me compelida a acreditar que eu estarei em breve passando por um processo similar. Tenho a sorte de tê-lo como um exemplo, e, assim como um outro mentor na pessoa de Trillia Gia, cuja luz é muito brilhante, uma querida amiga e emissária de Sirius A. Eu sou grata por ter esses amigos a fim de me aconselhar e me ensinar sobre o Novo Mundo que estou prestes a entrar. É quase como se nós tivéssemos planejado isso desta forma… E nós o fizemos!

Ninguém não decide apenas em um dia deixar o planeta e retornar para as Naves. Eu estou perto da ascensão agora; Eu posso senti-la e desde que eu esteja aceitando totalmente a mudança de status, o processo está começando a acelerar para mim. Eu estou no processo de desapego de tudo… É esse distanciamento que é necessário, a fim de estar solta daquilo que me prende à Terra e me permite voltar ascender graciosamente à minha nova missão a bordo do grande Nave mãe, a Ventos Brancos.

Como um aspecto da alma, eu estarei e tenho estado no processo de me harmonizar novamente com o meu Eu Superior. Já escrevi sobre a importância de trazer essas essências dentro do veículo físico, que é aquilo que aqueles que estão com a intenção de viver na Nova Terra vão precisar fazer. Em vez disso, eu estarei me reunindo com Eu Superior e me harmonizando em sua essência dentro da 5D/6D fora do planeta, com o meu conhecimento e experiência ampliado com do meu Eu Superior.

Rananda tem escrito sobre suas próprias experiências iniciais em se harmonizar novamente e se abrir para suas percepções 5D mais uma vez. No final deste artigo, vou incluir um link para o site onde você pode ler a história dele por si mesmo.

No futuro, eu posso ensinar aos outros o que aprendi aqui, mas caberá a outra geração que assuma a responsabilidade sobre a Terra que estou prestes a deixar para trás.

Embora a maioria de “mim mesma” partirá por um tempo, ainda continuará uma pequena porção do material da alma (2%), que irá me permitir comunicar através do meu walk-in. Na verdade, você pode nem notar que Eliza foi embora, até que meu walk-in se sinta mais confortável em fazer as mudanças e se expandir em seu serviço no Planeta. Após cerca de um ano mais ou menos, tudo de “mim” terá se harmonizado novamente com o Eu Superior. No entanto, mesmo assim, espero continuar a trabalhar e me comunicar através do meu walk-in, partilhando a minha história de vida sobre as Naves e em outros mundos. Desta forma, estarei contribuindo no meu pequeno caminho para o processo da Revelação.

Nos últimos 100 anos ou mais, os portadores de luz originais de Vênus e as Plêiades (assim como outros mundos primários, como Sirius A, Andrômeda e Arcturus) têm sido muito auxiliados de perto e a distância pelos esforços dos muitos e mais recentes “voluntários” seres de luz. Muitos desses seres compõem a Segunda Onda de Trabalhadores da Luz, que vai continuar com o trabalho iniciado há muito tempo por Sanat Kumara e outros. São essas almas e outros que continuam a encarnar (ou walk-in), que irá conduzir aqueles que dentro da humanidade estão prontos para a ascensão. São estes os que irão contribuir significativamente para a criação da cultura da Nova Terra durante este próximo grande ciclo.

Humanidade é jovem e por um tempo muito longo, meu povo tem observado vocês. Agora, vocês têm aqueles que se tornarão os Vigilantes, que irão orientar e proteger, ensinar e mostrar a vocês como adentrar ao novo mundo que juntos vocês estão criando. O tempo de o meu povo ficar por aqui está quase no fim. Alguns de nós vão permanecer por um tempo, mas já estão dando as minhas ordens de viagem.

Não sofra por minha passagem deste mundo, pois eu o deixo em boas mãos… Suas mãos. Trate-o bem, e tratem-se bem. Você merece um mundo que é um lugar gracioso cheio de beleza, abundância, alegria e amor. Ele não foi para mim, por isso estou cansada, mas vou me recuperar em breve nas salas de cura da Nave Ventos Brancos. E quando eu tiver aberto meus sentidos 5D, vou estar totalmente integrada com o meu Eu Superior, Lady Tazjima. Então eu vou continuar a servir como parte da consciência global de Lady Tazjima, fazendo seja lá o que for que ela faça. Eu acredito verdadeiramente que ela é uma senhora ocupada que, juntamente com seus amigos e parentes de Vênus, as Plêiades e outras Nações Estelares têm contribuído para o “Projeto Terra”, ajudando a evolução do Planeta e toda a vida sobre Ele.

Em seus sonhos e viagens astrais, você pode me ver entre os professores da Universidade do Espírito a bordo das grandes Naves-mãe Pleiadianas nos céus acima de suas cabeças. Visite-nos à noite, meus queridos; eu estarei lá em breve, servindo entre a família e amigos do outro lado da Galáxia e do Universo.

Outros membros da Primeira Onda, que estiveram na Terra por um longo tempo, em termos de seus anos lineares, também estarão partindo nas próximas semanas, meses e anos. Parte da razão a fim de escrever estas páginas, é começar a preparar as mentes e os corações destes irmãos e irmãs que não vão ficar com a Nova Terra, mas que estão programados para retornar a seus Planetas Casa ou para ir para outras atribuições ainda desconhecidas. Aqueles que especialmente ressoarem com estas palavras, vão começar a perceber, por si mesmos que outra missão está prestes a se revelar à eles.

Nós não deixaremos vocês totalmente desprovidos, meus queridos, visto que vários dos meus irmãs e irmãos Crísticos permanecerão mantendo suas funções dentro de sua Hierarquia Espiritual até que os filhos e filhas Crísticos nascidos da Terra possam substituí-los. E além do tempo e espaço, como vocês sabem, somos verdadeiramente UM com o Criador que nos fez a todos.

Devo dizer que eu nunca esperava sair tão cedo. Eu não posso dizer que eu sinto muito, pois tem sido uma turnê de serviço difícil e solitária. Estou ansiosa para ir para Casa. Ao mesmo tempo, vou sentir falta de alguns dos amigos que fiz durante a minha turnê de serviço por aqui. Tive a sorte, de fato, de servir em um belo Planeta como tal. Voltarei à Nova Terra quando a 5D estiver ancorada na superfície e as grandes Cidades de Cristal forem reveladas, uma vez que eu tenho muitos parentes e amigos atualmente servindo nos Retiros Etéricos já existentes em torno deste Planeta.

Como os Grandes Elfos da Terra Média, o meu tempo aqui está quase terminado. Em breve será hora de eu voltar para a Terra da Luz, que para mim é o Planeta Vênus, e a Ilha Pleiadiana de Medina, bem como a grande Nave-Mãe do meu tio, a Ventos Brancos. Há uma Nave Branca para mim que vai me levar para longe por um tempo, mas meu Eu Superior estará sempre presente no fundo do seu coração.

Meu amor e devoção seguem com vocês sempre, aqueles que se tornaram minhas irmãs e irmãos através das longas eras de minha permanência entre vós.

Namastê.

EU SOU Tazjima Amarias Kumara

Aqui está uma recente postagem no blog de um dos meus primos Kumara, Rananda Kumara, que explica mais do processo de harmonização. Um dos seus antigos aspectos terrenos é bem conhecido como Mestre Kuthumi, que recentemente assumiu o Oficio do Cristo Planetário de seu mentor, Lord Maitreya: http://towardchakra8.com/2014/07/09/going-home-for-the-first-wavers/ (Em inglês)

Autor: Elizabeth Ayres Escher (aka Tazjima Amarias Kumara)
Fonte: http://www.bluedragonjournal.com
Tradução: Sementes das Estrelas / Maria Dantas – mariadantas2@hotmail.com
– See more at: http://sementesdasestrelas.blogspot.com.br/2014/07/eliza-ayres-aquele-que-tem-servido_19.html#sthash.0Ow8uJ4R.dpuf

Anúncios