Mensagem do Grupo Arcturiano

Por Marilyn Raffaele

Em 07 de junho de 2015

Queridos, mudança rápida está acontecendo para muitos por escolha e também por necessidade.

O caminho da evolução pode dificultar até o ponto em que uma transição espiritual ocorre e a verdade se torna o estado de consciência e começa a manifestar nesse nível.

Muito do que é projetado na consciência mundial pela mídia, igrejas, governo, etc., simplesmente não ressoa mais com muitos de vocês.

Estilos de vida e tradições de longa data normalmente envolvendo amigos e/ou família começam a parecer antigos e acabados.

Algumas crenças são facilmente deixadas para trás e ninguém nem percebe, mas frequentemente tentativas de mudança pessoal servem para ativar um período de intenso questionamento, julgamento e críticas da família e dos amigos.

Isso pode fazer o aluno que está despertando duvidar ou até voltar ao que é familiar, mas porque ele evoluiu e não ressoa mais com o passado, ele não permanecerá no que está acabado.

Confusão e dúvida normalmente acontecem quando um indivíduo começa a receber e contemplar ideias de verdade completamente estranhas ao seu sistema de crença presente.

Quando um alicerce espiritual que já foi sólido começa a dissolver, torna-se extremamente estressante para aqueles que têm crenças religiosas estruturadas.

Não tenham medo, queridos, pois não existem acidentes neste ponto.

Saibam que vocês sempre são orientados e nunca estão sós.

O Eu Superior sempre traz o que é necessário quando vocês estão preparados.

Aprendam a confiar no processo sabendo que neste ponto vocês estão exatamente onde precisam estar, fazendo o que precisam fazer, e fazendo um bom trabalho.

O desânimo com o seu sentido de fracasso são manifestações de uma consciência cheia de “Eu deveria. Eu preciso. Só há um modo certo.” – todas as facetas da dualidade e separação.

É tempo de cessar o contínuo diálogo interior de autocrítica e julgamento, permitindo que essas crenças se dissolvam no nada que elas são.

Não há “deveria” nas energias dimensionalmente superiores, somente amor por todos os indivíduos e suas escolhas.

Como estudantes espirituais vocês estão em um ponto onde vocês não podem evoluir mais até reconhecerem o “eu”.

Estudantes espirituais do mundo por todos os tempos e agora têm se esforçado para descobrir e entender o que é Deus.

Muitos deuses e conceitos são o resultado, muitos ainda sendo aceitos como a única verdade.

A maioria de vocês sabe e aceita que o Divino está no interior, sua própria natureza verdadeira e o EU real.

Entretanto, ao mesmo tempo, muitos acreditam que sua humanidade é algo separado na crença que o “eu” é simplesmente o ego e deve ser eliminado.

O “eu” é o EU, mas no estado humano é condicionado por conceitos e crenças de separação.

O “eu” não pode ser excluído.

Uma falta de amor-próprio falsamente tem sido considerada como humildade, mas não é.

Ela é a manifestação da consciência de separação.

Humildade é uma conscientização de quem você é e de onde fluem quaisquer dons que você possa ter.

Muitos observam suas vidas, acreditando que ações passadas e até presentes os tornam desmerecedores do amor e acham impossível amar a pessoa que eles acreditam que são.

Isso é porque eles têm falsos conceitos sobre o que é o amor.

Amar a si significa reconhecer, aceitar e amar não apenas o Divino interior, mas também essa sua parte que ainda está aprendendo – a parte que cometeu muitos erros e que frequentemente aparenta ser um fracasso.

É uma jornada de reunir a criança interior e o Eu Divino.

Não se pode mais insistir nos “pecados” do passado, pois isso simplesmente serve para firmar as energias do passado, todos eles ilusórios.

Lembrem-se: uma pessoa somente pode viver a partir de seu mais alto estado atingido de consciência.

As coisas que vocês podem ter feito muito tempo atrás não são algo que vocês fariam hoje.

A criança interior é um termo usado para a energia acumulada de um estado imaturo e adormecido de consciência transportada e aumentada vida após vida.

Trabalhar com a criança interior pode ser uma ferramenta poderosa para aprender a amar o “eu”.

Embora frequentemente este trabalho seja considerado uma prática psicológica, ele realmente é muito mais profundo.

A criança interior é essa sua faceta inocente e confiante que tem sido rejeitada, desapontada e ferida.

Ela é o você adormecido como uma criança pequena, sua individualidade em seu estado mais inocente.

Quando as experiências começavam em todas as vidas, vocês apenas conheciam e assim acumulavam as memórias celulares das defesas de uma criança.

Muitos humanos ainda portam parte quando não toda a energia dos ferimentos experimentados na consciência infantil junto com os modos imaturos com que eles tentavam se tratar.

Como adulto essas energias começam a se manifestar como pensamentos e ações imaturos que surgem inesperadamente, normalmente nos períodos de estresse.

A maioria dos adultos normalmente ignora esses sentimentos não percebendo que eles estão rejeitando sua criança interior como irrelevante e assim perpetuando a situação.

Essa energia somente pode ser limpa por vocês.

A criança precisa ser reconhecida, aceita, amada, orientada, protegida, etc., e é hora.

Honrem-na seja qual for a idade que sua criança interior possa ter nesta época.

Vocês saberão pelos tipos de diálogos interiores que vocês experimentam.

Falem gentilmente com essa sua parte, digam a ela que de agora em diante vocês irão amá-la e protegê-la e mais importante, reconhecê-la.

A criança interior é o você que por nenhum motivo frequentemente se sente ferido, bravo, triste ou deprimido e, como uma criança imatura, com medo.

Sejam pacientes sabendo que, como todas as crianças, a criança está fazendo o melhor que ela sabe no momento e precisa de seu apoio.

Muitos têm conhecimento espiritual intelectual (chakra da coroa), mas até vocês abraçarem o todo de vocês reconhecendo e aceitando a criança (chakra do coração) haverá lutas.

Conforme vocês aprendem a aceitar, ouvir, apoiar e conversar com essa faceta de sua individualidade sem rejeitá-la como nada, ela amadurece – primeiro respondendo como criança, então como adolescente e finalmente como adulto.

Finalmente vocês são capazes de integrar totalmente este aspecto curado e o “eu” se torna o EU.

A evolução na Terra é uma progressão gradual para a recordação e aceitação da verdadeira identidade de si e dos outros através de experiências de muitas vidas vividas numa energia de dualidade e separação enquanto gradualmente evolui para uma consciência que aprende do interior ao invés do exterior.

Saibam que independentemente das aparências, na realidade tudo é perfeito, sempre foi e sempre será.

Vocês passaram vidas andando com dificuldade por uma floresta de energia densa e escura, tentando fazer o seu melhor em todos os passos do caminho.

Em certo ponto vocês começaram a ver luz infiltrando pelas árvores e se dirigiram para ela, mas depois de finalmente sair da floresta e entrar na luz brilhante, vocês perceberam que tinham acumulado relva, gravetos e todos os tipos de resíduos pelo caminho.

Agora vocês estão no processo de descobrir e retirar os resíduos acumulados, alguns dos quais estão profundamente enraizados.

Isso, por sua vez, permitirá que vocês pela primeira vez enxerguem vocês mesmos e os outros claramente.

Quando a verdade é nova, normalmente há dúvida e um desejo de permanecer no que é familiar.

Entretanto, uma vez fora da floresta e na luz, qualquer encanto que o velho ainda possa ter para vocês logo desaparece.

É aí que a maioria de vocês está agora – um ponto em que vocês precisam parar de enxergar com a “visão da floresta”.

Vocês saíram da floresta e precisam deixar para trás os modos da floresta.

Agora vocês têm luz que permitirá vocês descobrirem uma infinidade da sempre presente beleza e perfeição antes desconhecidas.

Não há acidentes neste ponto de sua jornada.

Todas as experiências são oportunidades para examinar seu sistema de crença sem julgamento ou crítica.

É tempo de ir além da autodepreciação ou de crenças que podem sugerir que vocês são “menos que”.

Vocês estão prontos para ir além dos estudos espirituais intelectuais e passar para a aceitação e viver dela.

Isso significa que sua jornada espiritual precisa incluir honrar, apreciar, entender, aceitar e amar quem vocês são – com os seus defeitos.

O AMOR nunca pode ser governado pelos padrões de uma sociedade ainda enredada em conceitos de bem e mal.

O AMOR é baseado no EU e flui do EU.

Sua conscientização dessa verdade expande e cresce com toda revelação, mas o “eu” não pode ser excluído do processo.

Tentem amar a jornada em si mesma e também tudo que vocês encontram pelo caminho, mas o mais importante é o conhecimento de que o “eu” é o EU e que nada é mais Divino que vocês em todos os momentos.

Nós somos o Grupo Arcturiano.

Fonte: http://www.onenessofall.com/

Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com

http://blogsintese.blogspot.com.br/2015/06/grupo-arcturiano-crianca-interior-e-o.html