O termo “Sírius” deriva do latim “Sirius”, que significa “brilhante”. Principal estrela da Constelação Cão Maior (Canis Major ou Big Dog), situada próxima à Constelação de Órion e a Constelação de Touro. Muitas vezes é apelidada de Estrela do Cão, Estrela Canina ou Canícula (pequeno cachorro).

Situada a 8,57 anos-luz da Terra, Sírius é uma das estrelas mais próximas de nós e pode ser vista de qualquer ponto do planeta. Sírius emite 23 vezes mais luz do que o Sol e é 1,8 vezes maior do que ele.

Sírius é um sol de grandeza média. A despeito disso, sua luz é de altíssima intensidade. Denomina-se “estrela” devido à sua aura expandida em pontos que atingem milhões de quilômetros, partindo de uma fonte central que fornece luz sem limites. Não há moites em Sírius.

Há três estrelas no Sistema Solar de Sírius: Sírius A, Sírius B e Sírius C, esta última já descoberta, mas ainda não confirmada pela ciência terrestre. Sírius B foi a estrela primordial e, quando implodiu, deu origem a Sírius A e Sírius C, tornando-se uma estrela-anã branca.

Segundo algumas informações de Mentes Sirianas, “Tiamat (antiga Terra) também foi criado da implosão de Sírius B, assim como Nibiru. Quando se decidiu criar uma Força Estelar, este gigantesco pedaço de rocha que flutuava no espaço perto das Plêiades foi localizado por meus antepassados e foi transformado em uma Força Estelar/planeta”.

“Quando os primeiros humanos chegaram a Sírius B, vindos de sua residência temporária nas colônias humanas do Sistema Veganiano da constelação de Lyra, receberam muita ajuda dos Felinos (sitiados em Sírius A). Sírius C é atualmente usado para armazenar materiais e suprimentos”.



O PROTÓTIPO ESPIRITUAL DE SÍRIUS
Sírius tem sido conhecida e reverenciada desde a Antiguidade. Na antiga Atlântida, os mistérios eram baseados em informações recebidas pelos Mestres de Sírius. Depois da terceira queda da Atlântida, os mistérios sirianos se espalharam para o antigo Egito. Já em 3000 AC, os egípcios começaram a celebrar o nascer helíaco da estrela Sírius, considerando-o como o Ano Novo, quando o Nilo inundava suas margens no período do grande leão, no mês de Leo.
Sírius é o lar da Consciência Crística, não só para o nosso planeta e sistema solar, mas também para toda esta Galáxia Una. Diz-se que todos os grandes Avatares são originários de Sírius, a estrela mais brilhante dos nossos céus. Sírius sempre foi um protótipo espiritual para a Terra e desempenhou um papel importante no início da evolução do planeta. A energia espiritual se irradia da estrela Sírius para o chakra cardíaco do nosso Sol e depois se dirige à Terra através dos raios abençoados do Sol.

 

A Estrela Sírius é o ponto central para a formação de um grande Ser Cósmico. Nosso Sol é considerado como um chakra de energia dentro do corpo Siriano.

Sírius é um portal de estágio e preparação para expedições angelicais e projetos divinos de colonização e expansão da vida por toda a galáxia.

Quando as faixas de vibração entre o nosso sistema solar e o de Sírius se alinham, abre-se um portal harmônico. Por ele derramam-se em abundância a Energia Crística da Unidade.

Segundo Alice Bailey, a Estrela Cão Sírius é uma das energias mais influentes e que afetam o nosso sistema solar na construção da Ponte do Arco-Iris ou Antahkarana. Ela ainda associou o sistema de Sírius ao planeta Vênus e ao reino místico de Shambala.

Através do Antahkarana, erguemos a ponte que nos conduz a Sírius. Mercúrio, o primeiro planeta a partir do Sol e Vênus o segundo, formam o ponto de entrada para a energia cósmica vinda de Sírius. Mercúrio comunica… Vênus traduz em amor.

O Antahkarana é o caminho para Sírius, que liga os corpos mental, emocional, físico e espiritual – chamados corpos inferiores – com os corpos superiores, equilibrando a mente e o coração. A fonte do caminho para Sírius é o Sol e o signo zodiacal é o Leão.

____________________________

(AWAKE, Flávio Miguel. “Sírius, o Sol Espiritual”, São Sebastião do Caí, 2011, 1ª. edição ).

__________________________

“A Estrela Sírius, que canaliza a energia do 2º Raio (Dourado) para a Terra, guarda uma importante Biblioteca de Luz e informações de cura e de todos os tipos para a humanidade, funcionando como uma Universidade Superior para a Terra”.

“As emanações de Sírius influem sobre o processo iniciático neste Planeta e neste Sistema Solar. É o vórtice que promove a integração dos seus diversos níveis de manifestação. Venerada pelos sábios, de diferentes modos Sírius está presente em quase todas as filosofias e mitologias antigas. Exerce ascendência marcante no desenvolvimento espiritual da humanidade, o que foi percebido, em particular, pelo povo egípcio (Sothis)”.
“Sírius tem funcionado, por milhares de anos, como uma energia de mentor e mestre, e as pessoas viajam ainda para o Egito para se conectarem com o ‘Portal Estelar de Sírius’, em Gizé”.

No dia 25 de dezembro, no hemisfério sul, Sírius se alinha com as três estrelas centrais do cinturão se Órion (conhecidas como as Três Marias, no Brasil): Alnitak (Zeta), Alnilan (Epilson) e Mintaka (Delta), juntamente com o nosso Sol.
À medida que os raios de Sírius se dirigirem para a Terra através do pré-alvorecer do Sol, as sementes Crísticas dentro de cada um de nós serão levadas a um novo padrão quântico. Estas sementes Crísticas são codificações do DNA que esperaram por esta emanação e configuração estelar particular para abrirem registros até então selados, que revelam verdades que estavam caladas. Nos momentos de silêncio entre as palavras e pensamentos é que vocês encontrarão a chave que destranca o que não foi visto até agora. […]
Na Antiguidade, os “Registros da Lembrança” eram escondidos fisicamente nas profundezas da Terra, sob, acima e ao redor de locais sagrados. A Matriz Mãe dessas codificações vive dentro da Grande Pirâmide do Egito, tendo a Esfinge como Sentinela Estelar. Quando os céus antigos se alinhavam numa configuração estelar específica, abria-se uma passagem energética para os locais sagrados, permitindo a entrada através dessas codificações geométricas sagradas. Todos nós trazemos, dentro de nós, o conhecimento celular de todos os locais sagrados que já foram oferecidos à Terra desde o começo dos tempos neste planeta e através dos tempos no nosso sistema solar imediato. Precisamos apenas sintonizar nossa intenção para receber essas energias.
A única maneira de a Terra evoluir é através do coração. Todas as ferramentas, meditações e entoação de OM são como uma árvore que não dá frutos, a menos que nos coloquemos em contato direto com o coração, ativando um portal de amor tão amplo que sejamos incluídos sem nenhum esforço. Estamos destinados a nos tornarmos mais do que imaginamos. Esta nova imagem refletida nos dará aquilo que temos esperado há éons.
O dia 8 de agosto é uma passagem natural. Não há nada que seja forçado, estimulado ou artificial; apenas uma lembrança natural ativando nossos códigos de luz adormecidos, elevando-nos para um espaço de onde poderemos ver o desfile de luz que ainda está para chegar. O TEMPO conhecido e desconhecido se combinam, enquanto a corrente de sincronismo do universo faz uma pausa para calibrar a si mesma. Tudo que estava escondido é visto, tudo que era visto fica claro. […]

Visualize as emanações e brilho de Sírius surgindo de seu coração terreno ao seu coração estelar. Sírius lhe dá a bênção dos “ciclos do Tempo”, reconectando todos os espaços sagrados através do tempo e do espaço, dentro e fora do planeta. No tom de sons de criação em cada célula do seu corpo na Terra circulam todos os 144 níveis de sua luz. Anunciando a partes da Terra longamente perdidas surgirem a partir de um profundo sono até o estado de alerta pleno. Sem a ajuda de seres humanos, a Luz do espaço profundo, de galáxias e horizontes longínquos irá apenas continuar a viajar eternamente, sem nunca parar. A Luz precisa de você tanto quanto você precisa de luz: é uma relação simbiótica, sagradamente estabelecida.

_______________________________

Gillian MacBeth-Louthan – PO box 217 – Dandridge, Tennessee 37725-0217

www.thequantumawakening.com * thequantumawakening@hughes.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br

(1) Dias da Canícula = No hemisfério Norte, o período mais quente do ano, correspondente ao começo do verão.

Pedro Coelho: http://www.luzdegaia.org/

Fonte: http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com.br/2010/07/o-despertar-de-sirius-em-2010.html#

Fonte: http://universidadesirius.blogspot.com.br/2015/04/vindo-do-amago-de-deus-esta-pagina-tem_23.html
___________________________


SÍRIUS E AS CIVILIZAÇÕES MILENARES

“Sírius A é mais de vinte vezes mais brilhante que o Sol e é duas vezes mais massiva. À noite, Sírius é a estrela mais brilhante no céu e seu brilho azul-branco nunca deixou de surpreender contempladores de estrelas desde a aurora dos tempos. Não admira que Sírius tenha sido reverenciada por praticamente todas as civilizações. Mas há mais sobre Sírius que o olho não pode ver?

Artefatos de civilizações antigas revelaram que Sírius foi de grande importância na mitologia, astronomia e ocultismo. Escolas de Mistério que a consideram como “o sol por trás do sol” e, portanto, a verdadeira fonte de potência do nosso sol. Se o calor do nosso sol continua vivo no mundo físico, Sírius é considerada para manter o mundo espiritual vivo. É a “verdadeira luz” que brilha no Oriente, a luz espiritual, como o sol ilumina o mundo físico, que é considerada uma grande ilusão.

Associando Sírius com o divino e até mesmo considerá-la como a casa da humanidade de “grandes mestres” não é apenas incorporada na mitologia de algumas civilizações primitivas: É uma crença generalizada que sobreviveu (e foi intensificada) para este dia. Vamos olhar para a importância de Sírius, nos tempos antigos, analisar a sua importância nas sociedades secretas e vamos examinar esses conceitos esotéricos como eles são traduzidos na cultura popular.” (Texto completo: RAMOS, Fernando, in Conhecimento é Poder, 03/01/2014 –http://apocalink.com.br/estrela-sirius-sua-misteriosa-conexao-com-a-historia-humana/)

_________________________________
[…]

Os SISTEMAS SOLARES, também possuem um SOL CENTRAL e um ESPAÇO UTERINO receptor, onde estão os PLANETAS. O SOL do nosso sistema solar é a Estrela Divina Sírius, SIRIUS é o SOL do nosso SOL. O SOL do SOL da Terra. O Sol do nosso Sistema Solar, o Sol da nossa Galáxia. Sírius é o foco do Grande Sol Central em nosso setor da nossa galáxia.

O Sistema Solar Sírius é chamado desde a antiguidade de “A Estrela do Messias (Kochav há’Mashiach) e é o local no universo onde os pensamentos são elevados, onde antes possuíamos o estado de “Messias” e é para lá que devemos retornar, para esse estado.

O MACROCOSMO gravita em torno do SOL CENTRAL da nossa Galáxia, SÍRIUS ou SÍRIO. Por SÍRIUS penetram as diretrizes da GRANDE LEI, do GRANDE SOL CENTRAL e passam pelo SOL DO NOSSO SISTEMA, governado por HÉLIOS E VESTA, até chegar ao nosso planeta Terra e aos nossos corações.

O “Sistema Regional de Sírius” evoluciona em torno de um sol central chamado Alcyone, estrela situada na constelação das Plêiades ou “Quadrante das Plêiades”. O conjunto Sol-Sírius-Alcyone descreve uma órbita ao redor do centro da galáxia (Via Láctea) em direção da estrela de Sagitário.

O Cinturão de Órion

Desde a antiguidade, três belas estrelas nos chamam a atenção. Elas são conhecidas como as “Três Marias” e também pelo título código de “Os Três Reis Magos”. Elas apontam diretamente para Sírius, e Sírius aponta diretamente para o nosso sol, em Dezembro e Janeiro.

As Almas dos Messias…

As almas de todos os messias são centelhas da Gigante Azul Sírius. Uma grande evidência disto, mesmo que a maioria dos religiosos dogmáticos a neguem, é Yeshu’a – Um dos Messias que era seguido e auxiliado pelas três Marias: Maria irmã de Lazarus, Maria de Magdala e Maria sua mãe, e que foi visitado pelos “Três Reis Magos”. Evidentemente, trata-se de um código celeste e não de uma história física.

________________________________

 

Fonte do texto completo: http://yodeataalumot.blogspot.com.br/2013/02/sirius-o-local-do-jardim-do-eden.html

http://almasiriana.blogspot.com.br/p/sistema-estelar-desirius-estrela-que.html

Anúncios