“Sírius constituiu, astronomicamente, a fundação do sistema egípcio religioso. Ao integrarmos estas energias na nossa essência estamos também a resgatar muito conhecimento ancestral e a recordar o momento da chegada ao Egito dos “Deuses vindos das Estrelas”, que ensinaram toda a sua sabedoria a este povo da antiguidade”.

(http://www.amorealquimia.com)

_________________________

[…] A Terra, que nasceu da supernova Sírius B (Tiamat), deveria ter disponível o material genético necessário para continuar a evolução. O Sol do nosso Sistema Solar é uma estrela gêmea de Sírius A e Nibiru tem uma órbita que faz uma longa viagem entre as duas estrelas. Assim, os Sirianos-Felinos utilizavam Nibiru como elo de comunicação entre as duas estrelas. Neste período inicial das visitas de Nibiru à Terra e até o ano de 7.200 a.C., Sírius mantinha ligação direta com a Terra através das dinastias egípcias. Durante esse período, os sirianos podiam alcançar todo o planeta Terra através da Grande Pirâmide.

Esta é uma imagem do “Olho de Horus”, de Sírius, símbolo que foi ensinado aos iniciados nas antigas Escolas Egípcias de Mistérios, pelos Mestres de Sírius. A imagem mostra como a Glândula Pineal no cérebro humano foi o local principal para a Criação e Manifestação, que era o significado e propósito do símbolo do “Olho de Horus”. Assim, quando o olho de Horus ou a Glândula Pineal é fortemente ativada pelas transmissões de Luz, a partir do Sistema da Estrela Sírius, significa que uma energia poderosa de Criação e Manifestação está em curso. Os Conselhos da Terra estão recebendo Novos Modelos para Formas Superiores de Vida e de Consciência na Terra. Aqueles que não estão recebendo as transmissões (os que ainda não despertaram) irão continuar com suas vidas no âmbito da realidade que conhecem, até que estejam prontos para se graduarem para a estrutura Multidimensional que está sendo realizada agora.

__________________________________

Fonte: https://portal2013br.wordpress.com/2015/05/08/o-sistema-estelar-de-sirius-e-os-antigos-registros-de-orion/

_________________________________

Sírius é a primeira estrela conhecida com absoluta certeza pelos hieróglifos egípcios, (e às vezes representada por um cão), e aparece nos monumentos e templos ao longo do Rio Nilo. Entre estes existem os Templos da Deusa Hathor, ou Isis Hator, que eram erguidos com orientação para a estrela Sirius. Os Egípcios acreditavam que Sirius detinha o destino de nosso planeta. É para lá que iam as almas dos Faraós e sacerdotes após a morte para “receberem instruções” e ganhar conhecimento. Alguns historiadores pensam que, a partir desta estrela, chegaram ao Egito os Deuses que ensinaram toda a sua sabedoria a este povo da antiguidade. Uma antiga representação egípcia mostra a deusa Isis com a estrela Sírius, sobre sua cabeça e segurando o cetro wadj e o ank (da dilatação e da espiritualidade da vida). […]

Os grandes templos de muitos povos antigos eram construídos voltados para o leste (como o Templo de Salomão, em Jerusalém; Stone Henge, na Inglaterra; Baalbek, no Líbano), para que no dia 26 de julho de cada ano, no dia do nascimento helíaco de Sírius, um raio de luz dessa estrela penetrasse no âmago do templo, local conhecido como “Sanctum Samtorum” (O Santo dos Santos), existente nas pirâmides e em vários outros templos egípcios, principalmente naqueles dedicados à Deusa Isis. Para esses antigos povos e seus iniciados, esse era o momento mais sagrado de todos os dias do ano.

O Templo de Hathor, em Dendera, que também era conhecido como o “Templo do Nascimento de Isis”, era consagrado à Estrela Sírius. Bast, a deusa gato, e Shekmet, a deusa leoa, eram divindades vindas de RA – o deus Sol. Simbolizavam o poder de fecundidade, cura e da fêmea guerreira.

Sírius, no Egito, era associada também a Anúbis – aquele que guia os mortos para a vida eterna. É a estrela guia em nível macrocósmico. O Sol Espiritual.

Os antigos Egípcios identificavam o Sistema Solar como Ra-Herukuti-Osiris. Este carregava uma energia masculina. O “sol” Siriano era identificado como Isis-Maat e era a energia feminina. Juntos, a sua sagrada união criou Abundância e Paz na Terra. No Antigo Egito a conexão com Sírius foi mantida pela família Real dos Faraós. Sua herança genética de Sírius capacitou-os a “manter o campo” da Luz Azul e manter a conexão Galáctica através dos Corpos de Luz Galácticos. Esta conexão foi terminada pelas Dimensões Mais Elevadas quando foi decidido se iniciar um programa através do qual todos os humanos pudessem se tornar os detentores da Consciência Galáctica. Esta hora é agora!

Essa cultura foi diretamente influenciada pela Estrela Sírius e pelos Sirianos. O uso da Geometria Sagrada, as frequências apropriadas utilizadas para a cura e contato espiritual, posturas e exercícios de respiração, medicina natural, matemática e astronomia foram passadas de gerações em gerações. Mesmo assim, muito se perdeu, ou “foi perdido”.

Os primeiros faraós eram descendentes puros dos Sirianos. Ptah, o imortal, governou o Egito por nove mil anos. Nenhum humano viveu tanto tempo.

Sírius, a “Estrela Sagrada” dos antigos egípcios, “anunciava” a cheia do rio Nilo pressagiando mais um período de abundância, fartura e fertilidade. Somando-se a isso as três Pirâmides estão proporcionalmente dispostas em relação ao Nilo, da mesma forma que (observando numa carta celeste) as “Três Marias” estão em relação à Via-Láctea, vistas da Terra!

____________________________

Fontes: Textos completo in:

http://soldesirius.blogspot.com.br/p/sirius.html

– AWAKE, Flávio Miguel. Sírius, o Sol Espiritual, São Sebastião do Caí, 2011, 1ª. edição )

_____________________________

Seu ano começava como os “dias do Cão”, quando a Sírius, a estrela da constelação Cão Maior, surgia atrás do Sol, por volta do dia 23 de julho. Aparentemente também conheciam a Sírius B porque, nas suas tradições religiosas, a deusa Ísis era símbolo da Sírius A e Osíris, seu consorte, era associado à sua escura companheira.

Os antigos rituais vinculam Ísis a Sírius. A câmara do ano novo do templo de Dendera foi construída de forma que a luz da Sírius seja canalizada por um corredor até o interior da câmara.

Isso é um antecedente da cerimônia Sigui que os dogons celebram quando a Sírius pode ser vista pela fresta de uma rocha da aldeia de Yougo Dogorou.

Fonte do texto completo in: http://yodeataalumot.blogspot.com.br/2013/02/sirius-o-local-do-jardim-do-eden.html

http://almasiriana.blogspot.com.br/p/sistema-estelar-desirius-estrela-que.html

https://quintadimensaosanandeandromeda.blogspot.com.br/2017/05/os-egipcios.html

Anúncios